Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

Nota!

Faz muito tempo que eu não escrevo nem posto nada! Além da correria normal do dia a dia, muitas coisas aconteceram. Minhas adoráveis companhias se reduziram a três! Dadinho, Feiosa e Tevez! Perdi alguns dos meus bebês e entre eles o meu Maquiatinho, que era meu grude! O gatinho mais amável e doce que eu tive o prazer de conviver! Faria 9 anos. A incerteza do que aconteceu fica até hoje, assim como a saudade! A lição ficou e percebi que ao mesmo tempo que damos liberdade aos nossos felinos também corremos o risco de que eles não voltem e que nunca saberemos o paradeiro deles. Hoje, eu sei que a minha responsabilidade é mantê-los bem e por isso telei todo o apartamento. No começo eles acham ruim, mas depois se acostumam e até gostam! Logo vou voltar a postar mais e contar as muitas novidades que tenho por aqui!

Dicas para dar banho em seus amigos em casa!

Adorei essa dica! Fazia alguns dias que estava pensando em começar a dar banho em casa mesmo! Pelo fato do Tevez ser grande dá uma preguiça! Mas acho que é mais pessoal e pra eles deve ser diferente e talvez mais confortável!

Se pudéssemos, levaríamos os nossos cães e gatos frequentemente ao pet shop para obanho. O ideal é que eles tomem banho pelo menos uma vez por semana, mas por conta da economia, falta de tempo e por não ter como transportá-los, algumas vezes pensamos na possibilidade em dar banho em casa mesmo. Mas como fazer isso com segurança?
Alguns cuidados são essenciais para não colocar em risco à saúde do animal. Tudo pode ser muito fácil ou extremamente difícil e cansativo, o que vai determinar o andamento e o bom resultado do banho é o temperamento do pet e a sua paciência com ele. Antes de começar, a escolha do xampu deve ser feita de acordo com o pelo e tipo de animal, consulte o veterinário antes para fazer a escolha certa. Você vai precisar de:
Toalha, Xampu, Condicionad…

Alergia a pulgas - Um caso sério!

Hoje estou postando aqui sobre um assunto que é bem corriqueiro e que tem me dado dor de cabeça! A alergia do Tevez às pulgas são um sofrimento! Tanto pra ele quanto pra mim, que vejo ele se coçando, se lambendo, e se machucando ao extremo! Já fiz de tudo um pouco e achei esse post pra dar uma luz a todos aqueles que passam ou já passaram por esse problema!

Uma das doenças cutâneas mais comuns em pequenos animais é a “alergia à pulga”. A verdadeira causa da doença não é a pulga em si, mas uma reação alérgica do corpo animal à saliva da pulga. Esta reação causa um edema local com coceira, pápulas, crostas e graus variáveis de alopecia (perda de pelo). As lesões podem ser generalizadas, estando localizadas na cabeça e pescoço, nas faces caudais das patas posteriores ou na região da base da cauda, esta última sendo a mais comum em cães. Como os animais sensíveis desenvolvem o hábito de lambedura, apresentam poucas pulgas, o que leva seus tutores a acreditar que a picada não é a verdadeira …

A importância da triagem de adotantes

Muitas pessoas ao resgatar um animal, ou na pior das hipóteses, deixar o animal procriar (esterilize!), precisam procurar adotantes para os que não puderem ficar. Nesse caso, a divulgação é fundamental para o pedido de adoção chegar aos interessados em adotar, a forma de divulgar deve conter detalhes importantes para expor a situação, sensibilizar e estimular o possível adotante, mas principalmente, tomar cuidado para não expor o animal como um produto. Se você divulgá-lo como um produto, tentando listar vantagens, usar palavras como "legítimo", "escolha"..., chamará a atenção de "adotantes" que o tratarão igualmente como produto. Seja sincero e honesto com o animal. E seguindo essa linha de preocupação legítima pelo bem-estar, segurança e felicidade do animal, um passo importante na adoção é a análise e orientação dos interessados em adotá-lo.  Não são todos que entram em contato que realmente são capazes para adotar um animal. E infelizmente, muitos ou…

Agressividade entre cães do mesmo sexo...

Esse é um problema muito comum, e que costuma preocupar muitos donos de cães. Alguns cães simplesmente não nem podem cruzar com outros cães na rua, que já demonstram uma atitude muito agressiva. Outros vivem em constante conflito com os demais cães da mesma casa. Tanto numa situação quanto na outra é necessário entender onde se originou esta atitude para poder corrigi-la. Vamos analisar melhor as situações mais comuns: Cães que brigam com quaisquer outros cães que encontram pela rua Este é o típico caso de cães que foram mal socializados, e com isso acreditam que a simples aproximação de outro cão significa um perigo real. Isto faz com que ele sempre reaja agressivamente quando confrontado com outro cão. Para resolver este problema, o proprietário do cão tem que fazer um trabalho de modo a acostumar este cão à presença de outros cães por perto.  Ou seja, este cão deve ser socializado. Quanto mais jovem for o cão mais fácil será este processo, e melhores serão os resultados. Um cão adult…

O problema dos latidos!

Outro dia me deparei com uma postagem de uma amiga minha no facebook reclamando bastante do barulho que o cão da vizinha tem feito! Esse não me parece ser um problema exclusivo dela e muitas vezes já ouvi pessoas com reclamações semelhantes!!! Eu sei bem como é, já estive dos dois lados da situação e graças a Deus hoje em dia convivo muito bem com a vizinhança e meu cachorro aprendeu que latir demais não é solução e que ele ganha mais sendo educado! De qualquer maneira achei esse texto muito interessante! Espero que ajude a quem precise!!


Difícil encontrar quem já não tenha passado pelo incômodo dos latidos dos próprios cães ou mesmo dos cães dos vizinhos, gerando sempre aquelas reclamações, brigas e infindáveis situações desagradáveis. O cão que late muito, aquele latido crônico, aparentemente sem razão nenhuma é um transtorno, um aborrecimento que tira a paz e tranqüilidade de qualquer um.

Este tipo de latido não é saudável inclusive para o próprio cão, pois estes latidores contumazes…

Animais de estimação protegem saúde dos bebês

A conclusão é de um estudo finlandês, que observou que recém-nascidos que convivem com gatos e com cães têm menos problemas de saúde.

Os bebês que nascem em famílias com animais de estimação são mais resistentes a doenças, em especial a infecções respiratórias. A conclusão é de um estudo finlandês, que observou que os recém-nascidos que convivem com gatos e principalmente com cães têm menos problemas de saúde do que os que não têm estes “amigos de quatro patas“ ao seu redor, conclui o portal Boas Notícias.

O estudo, publicado em Agosto na revista científica Pediatrics, acompanhou 397 crianças nascidas na Finlândia entre 2002 e 2005 com idade até um ano e registou o número de vezes que estas tinham contatos com cães ou gatos semanalmente.

Apesar de as infecções respiratórias e, por exemplo, outros problemas como as otites, serem muito frequentes nos bebés, os investigadores constataram que os que interagiam mais com animais pareciam ter menos tendência a adoecer e, mesmo quando estavam do…

Dudu

Olá....Esse é o Dudu.
Esse gatinho lindo primeiro chegou na minha casa! Até hoje não sei bem como, mas sei que encontrei ele bem acuadinho atrás do armarinho do banheiro, com todos os meus gatos e o Tevez fazendo guarda! Tadinho...tremia! Meu primeiro instinto foi ficar com ele, mas ele precisava de muitos cuidados e de alguém que daria uma certa exclusividade e atenção a seus problemas!! Minha grande amiga Tâmara topou o desafio e salvou a vidinha desse pequeno guerreiro!! Hoje ele vive feliz em um lar cheio de amor, caminhas, ração, natureza e sua melhor amiga, a Lili...uma cadelinha super amorosa!!!!





Gatos imitam hábitos dos donos

Depois dizem que só cachorro se apega ao dono – e os amantes de gato dizem que isso é a maior balela do mundo. E eles estão certos.  Tanto se apegam (e observam) que imitam os hábitos dos donos. Ainda mais se saírem pouco de casa: quanto mais caseiro, mais parecido com o dono. Quem desconfiou das semelhanças foi um grupo de pesquisadores da Universidade de Messina, na Itália. Eles analisaram o comportamento de 10 gatos. Cinco deles viviam numa casa pequena, maisperto dos donos. Já os outros gatos eram maisindependentes, moravam em lugares grandes e passavam a noite fora de casa. Aí eles observaram as rotinas dos donos: horários de almoço, jantar, quanto comiam, e que horas costumavam dormir e acordar. E compararam com as manias dos felinos. Segundo a pesquisa, os mais independentes não pareciam se importar muito com o dia-a-dia das pessoas. Mas quem vivia mais perto dos donos seguia quase a mesma rotina. Dormiam e comiam nos mesmos horários – e até engordavam junto com os donos. “Os …